segunda-feira, 28 de julho de 2014

Review - Destrua Este Diário - Keri Smith


Hoje irei fazer um review de um livro muito famoso! Mas ele não é um livro comum, como aqueles que têm história, capítulos, etc. Ele é um livro para ser destruído!
Sim, isso mesmo. Nós compramos o livro para destruí-lo, mas tudo de uma forma divertida e criativa.

O Destrua Este Diário não tem
 história, capítulo e nem vem com a contagem das páginas. Você que tem que escrever sua própria história! 
Existem umas regras a cada folha, nas quais você solta sua imaginação ou o seu desespero. Sim, algumas funções são bem malucas, tais como: dormir com o diário, tomar banho com o diário, jogá-lo de uma ladeira, amarrá-lo num barbante e sair por aí batendo-o nas paredes... Very crazy!



Algumas destruições são bem legais, como as vistas acima. Já outras...



Dá uma dó no coração amassar, rasgar, entregar seu diário à outras pessoas... Mas fazer o quê, são as regras, né!?

Foi uma senhora ideia essa que a Keri teve. Ela conseguiu colocar diversão, dor, desespero e criatividade num livro sem história.
Divino!
Recomendo à todos :)

Comentem como vocês destroem seu livro. Curtam a nossa fâ-page no Facebook e sigam nosso Instagram (@algumacoisasobreler)

Até logo!

domingo, 27 de julho de 2014

Resenha - Convergente (Divergente #3) - Veronica Roth

''... Prefiro acreditar que, se forem persistentes, até pequenas gotas d'água , com o tempo, podem mudar uma pedra para sempre. E a pedra nunca voltará ao que era.'' - Zoe, pg. 152.

Atenção: Este post poderá ter spoiler DOS OUTROS LIVROS da série. Quem ainda não leu Divergente ou Insurgente, se retire agora!



Onde está a Tris e o Tobias que eu conheço?

A sociedade baseada nas facções está totalmente devastada. A Chicago que Tris conhecia agora é dominada por ninguém mais que Evelyn, a mãe de Tobias e líder dos sem facção.
Com Jeanine morta, o novo governo está condenando as pessoas que se aliaram com ela. Tris, Caleb, Christina, esses são os nomes das pessoas que receberão algum tipo de castigo.

Cansada de se impôr às regras dos sem facção, Tris decide que está na hora de explorar novas fronteiras. Ela e vários outros acompanhantes vão para um lugar chamado Departamento.

Segredos preciosos são descobertos, tais como: a importância da família de Tris e de Tobias; o passado corrupto dos governantes e o quê são de fato os Divergentes.

O mundo além de Chicago é mais explorado. Novas personagens com sede de revolução entram para a história, o que anima e enriquece cada vez mais a narrativa.

O drama é o principal foco do livro. Tris está totalmente desolada, desamparada, estressada, com dúvida de tudo e de todos. Mas uma coisa ela não perdeu: sua coragem!

Há uma novidade em Convergente: o livro também é narrado por Tobias!

Acho que a maioria dos fãs da série acharam que a história ficaria mais emocionante, mas estávamos enganados. Tobias é mais chato do que a Tris.

Sério, cadê aquele personagem que fez as meninas delirarem? Cadê aquele cara que serviu de inspiração para muitos outros rapazes?
Parece que foi para a China...

Eu me pergunto qual é o problema de tantos autores que começam uma história de uma forma cativante, interessante, harmoniosa, etc., mas a terminam totalmente sem lógica, sem sentido.

A Veronica mudou totalmente a história de cada livro. Ela quis impressionar, quis mostrar como era o governo antigamente, como as pessoas eram tratadas... Mas não colou.

Nas primeiras 300 páginas o livro não me agradou. Demorei umas 3 semanas pra chegar na página 400, mas a partir daí o ritmo começou a ficar mais rápido e bem mais interessante.

Muitos reclamam do final. Eu gostei. Gostei do que aconteceu, mas não gostei de como aconteceu.

Enfim, a série Divergente começa boa, mas termina totalmente desagradável.
É uma leitura interessante, podendo ser comparada até à Jogos Vorazes e à A Seleção, mas que pode ser deixada de lado. Priorize 50 Tons de Cinza e não Divergente...

Editora: Rocco
Páginas: 526
Nota: 3/5


sábado, 26 de julho de 2014

Sorteio no Instagram!



Olá, galera! Estou muito feliz em anunciar o primeiro sorteio do blog! Em parceria com outros três igs literários, sendo eles: ''@blogtbz''; ''@paraisoliterario_'' e ''@book_made_in_brazil'', estamos realizando este incrível sorteio.
Os prêmio serão divididos em kits (4 kits, para ser exato). Em cada um conterá diversos brindes.
Enfim, entre no meu perfil do instagram ''@algumacoisasobreler'' e veja onde participar do sorteio. Lá tem tudo explicado.
Espero que participem. Não percam esta oportunidade. E, quem ganhar um desses kits e estiver seguindo o meu blog, ganha um brinde super especial.

Participem!

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Parceria: Vanessa Pereira - Autora de ''A Rosa e o Dragão''

Mal posso acreditar que fechei esta parceria. Sério, o livro é tão perfeito, a sinopse, a capa, tudo! Estou mega-feliz!
Enfim, estou aqui para falar da autora e de sua obra publicada.
Vamos lá!

A AUTORA:
VANESSA PEREIRA, escritora, atriz, radialista e musicista, é apaixonada por todo tipo de arte. O amor pela leitura e pela escrita foi se enraizando na adolescência. Logo surgiu a vontade e a ideia do primeiro livro. Escrito e revisado várias vezes por ela, e com a ajuda de sua tia Divina, esse livro é a realização de seu sonho mais profundo.



Apenas mulher, complicada e simples ao mesmo tempo.

Encontre-a aqui

A OBRA:
Nosso destino está definido ou somos nós que o escrevemos através de nossas escolhas?


Desirée é uma típica adolescente, com amizades fortes desde a infância. Pais ausentes, amigos presentes e uma certeza: a amizade não se troca por nada.

Mas e quando surge um amor inimaginável?

Tudo se transforma ao conhecer Andrew, um rapaz elegante, que chama a atenção por seu modo de ser. O amor acontece e dispara o coração adolescente. Contudo, Desirée mal sabe o que a espera. Um único pedido de Andrew e toda sua vida pode mudar.


--''--''--''--''--''--''--''--''--''--''--''--
Espero que tenham gostado. Quando eu ler o livro, farei uma resenha! Fiquem ligados!


Resenha - Radiante (Riley Bloom #1) - Alyson Noel

'' A maioria das pessoas acha que a morte é o fim.
O fim da vida - dos bons tempos -, o fim de...bem, praticamente tudo.
Mas essas pessoas estão enganadas.
Completamente enganadas.
Eu sei muito bem. Faz quase um ano que morri.'' - Riley Bloom, Radiante.

Riley Bloom, a guria da capa do livro, têm apenas 12 anos e já teve sua vida interrompida num terrível acidente de carro, no qual sua mãe, seu pai e até seu cachorro falecerem. Menos sua irmã, Ever, protagonista de Os Imortais, outra série da autora Alyson Noel.

Segundo a mitologia deste livro, quando pessoas morrem, elas vêem uma ponte, que dá para um lugar chamado Aqui. E lá é sempre agora. Formando então o Aqui & Agora.
Os espíritos que não cruzam o caminho proposto, ficam presos no plano terreno (a Terra, no caso). Aí é que entram os Apanhadores de Almas! Eles são espíritos que ajudam outros espíritos à conseguir o caminho para o seu lar verdadeiro.

Riley está totalmente perdida em sua nova escola, e fica mais ainda quando recebe a notícia de que é um Apanhadora de Almas, e que desceria à Terra para resgatar o Garoto Radiante, em companhia de um garoto bobo e fora de moda, chamado Bodhi, e de seu fiel - ou nem tanto - escudeiro: Buttercup.

--''-''--''-''-''-''-''-''-''-''-''-''--
A partir daí a história até que fica menos água-com-açúcar. 
Confesso que me irritei pelo simples motivo da autora não ter aprofundado tanto no ''salvamento'' do Garoto Radiante. Mas, em consideração ao final, até que essa medida foi cabível.
--''--''--''--''--''--''--''--''--''--


A narrativa é repetitiva demais. A autora repete a palavra ''bem''... bem, umas mil vezes.
Mas, mesmo assim, o jeito como ela escreve não deixa de ser engraçado.
Me diverti demais com a Riley, mas confesso à vocês que ela é uma péssima personagem principal. 

Radiante é um livro despretensioso, que dá pra se ler numa tarde. Recomendo bastante mesmo.
Fiquei muito curioso pela continuação da saga de 4 livros. 

Editora: Intrínseca
Páginas: 174
Nota: 4/5


sábado, 19 de julho de 2014

Fic: O Poder de um Sonho - Capítulo 1

Eu estou muito sumido. Desculpe, pessoal!
Minhas aulas começaram e eu tenho que dividir minha atenção em várias coisas agora. Mas enfim, hoje não estou aqui para me desculpar, e sim para postar o primeiro capítulo da minha fic, que é inspirada em Os Instrumentos Mortais e em várias outras séries.

Let's go!


Capítulo 1 - O Sonho
Acordo totalmente apavorada. Sonhei que minha mãe havia morrido de uma forma chocante. E o pior: era eu quem a matava! Foi um sonho terrível. Espero nunca mais tê-lo. Chego na cozinha e me deparo com minha mãe sorridente preparando o café da manhã. Não tenho a mínima ideia de que horas são, por isso indago: - Mãe, que horas são? -Bom dia, querida! Agora são 12:42, se apresse para ir pra escola, Mia! - Tudo bem, tudo bem, senhora Carter. ----------------''-----------------''----------------- Chego na escola um pouco mais relaxada, mas ainda me lembrando daquele terrível pesadelo. Era tudo tão real. Os rapazes que me prendiam, minha mãe estirada no chão... Não gosto nem de lembrar. Hoje nós temos a minha aula preferida: a aula de Ciências, com o Sr. White. Eu gosto desse professor pela capacidade de lidar com os alunos problemáticos. O caso mais magnífico foi com uma aluna que engravidou aos quinze anos de idade: Todo dia, a Sasha, pedia para se retirar da sala. Dizia que estava com fortes dores de cabeça e com ânsia de vômito. Todos suspeitávamos que havia algo a mais nessa história, e estávamos certos. Sasha desmaiou em plena sala de aula, e o Sr. White a levou à enfermaria da escola. A enfermeira, SRA. Maria, reanimou-a e pediu que fosse à um médico urgente. Ela foi, e a suspeita de todo mundo se concretizou. Sasha estava gravida de um aluno do terceiro ano do ensino médio, dois anos mais velho que ela. O professor de Ciências mandou trabalhos relativamente simples para ela, já que foi preciso ''tirar uma folga'' da escola, para que o bebê nascesse saudável. Ele até aumentou as notas suas notas, e pediu para que os outros professores fizessem o mesmo. O Sr. White realmente é mais que um professor, é um amigo. ------------''------------------''------------------ A escola termina até que rápido hoje, ainda bem. Meus pensamentos não se direcionam à outra coisa a não ser aquele sonho. Ainda não consigo entendê-lo. Por que minha mãe foi algemada por mim? Por que dois homens desconhecidos me levaram para um lugar também desconhecido? Por que eu matei minha mãe? Geralmente eu só sonho com coisas felizes, como com o meu falecido pai. Ele se chamava Marcos. Era um grande policial, um dos melhores. Saiu de casa logo cedo, já que não sentia mais amor pela minha mãe. Eu tinha apenas dois anos naquela época. Um ano afastado de nós, meu pai morreu num acidente de helicóptero. Estava com mais dois colegas de profissão, apenas um sobreviveu. Foi um terrível acidente. -----------''------------------------''---------------------- O dia todo passa rápido, como se alguém tivesse adiantado o relógio primordial. Passo a tarde toda assistindo tv, esperando minha mãe chegar do trabalho. Nós moramos num apartamento pequeno, mas aconchegante. Ele foi uma das poucas coisas que minha mãe conseguiu comprar com o dinheiro que recebeu pela morte do meu pai. Não somos muito pobres, mas estamos numa fase bem crítica. Nunca fui de pedir coisas para a minha mãe, porque sei que ela não dará. Nunca foi de ''puxar o meu saco''. Eu não a considero uma mãe má, mas, como todos, elas tem defeitos. Minha mãe chega cedo hoje. Estranho...Ela costuma chegar em torno das dez horas, mas agora são apenas sete e quarenta. Decido perguntar o que aconteceu: - Mãe, por que a senhora chegou tão cedo assim? - E o que há de errado? O que você pretendia fazer nessas suas horas vagas? Trazer um garoto para transar, igual aquela sua amiga... a Sasha? - diz ela, num tom raivoso e agressivo. Eu fico assustada, pois nunca vi minha a mulher que meu a luz daquele jeito. Não digo mais nada, o silêncio as vezes é a coisa mais sábia a ser dita. Deito-me assim que acabo a minha oração. Sou muito convicta que existe um Deus poderoso que nos proteja e nos guarde. Hoje peço para ele que abençoe meus sonhos e minha mãe. Adormeço mais rápido do que o de costume. Qual é a do tempo hoje? De novo aquele sonho: Tudo começa tão rápido, a morte da minha mãe, os homens me prendendo, me levando para um lugar escuro e fedido... Mas algo mudou: eu pude ver o rosto de um deles, e percebi que era o amigo sobrevivente ao desastre do helicóptero do meu pai. Levanto totalmente sem fôlego.

quinta-feira, 10 de julho de 2014

Resenha - Sussurro (HushHush #1) - Becca Fitzpatrick



Sussurro: Minha primeira de muitas histórias sobre anjos caídos.
Nora Grey é uma garota diferente da maioria. Ela não gosta de ficar em lojas de roupas, prefere escrever para um blog de sua escola; não corre atrás de garotos, pois nunca se sentiu atraída por algum. Mas, como todo clichê, isso muda quando ela conhece Patch Cipriano, um menino caladão que faz o típico papel de ''bad boy''.

A vida de Nora muda radicalmente depois que conhece esse garoto. Primeiro ele não sai de sua cabeça, segundo ela tem a sensação de estar sendo perseguida por alguma coisa que tem planos de matá-la.


O lado de ''anjos caídos'' começa a ficar forte mais ou menos pela metade do livro. Nora descobre que Patch é um anjo, e que o bad boy caiu pelo fato de querer imensamente se tornar um humano.

Essa sede de se tornar humano ainda reside dentro de Patch, mas para alcançar essa proeza, ele precisa matar um parente de um nephilim ou ser um anjo da guarda. Ele escolhe então a opção mais fácil: ser alguém que protege outro alguém. Mas a pessoa que ele precisa salvar é a mesma que ele quer/deve matar: A Nora!

Surpreendente, não?

O livro não é lá dos melhores, mas te prende do começo ao fim. É uma ótima leitura de fim de semana, principalmente pra quem tem um coração forte.



A minha versão do livro é a econômica. Ela não tem orelhas, mas tem as folhas amareladas e detalhes em cada começo de capítulo. Além de ''penas'' nos enunciados do livro.


Espero que tenham gostado, até breve!









segunda-feira, 7 de julho de 2014

Resenha - Cidade dos Ossos (Os Instrumentos Mortais #1) - Cassandra Clare


Narrado em terceira pessoa, por um narrador onisciente, Cidade dos Ossos nos trás ao um mundo onde existe de tudo: vampiros, lobisomens, feiticeiros, etc. Mas uma coisa é mentira: a existência de zumbis (eu fiquei triste por isso).

Clary, a protagonista, perdeu o pai logo cedo. Vive com sua mãe, Jocelyn, e pode sempre contar com seus dois grandes amigos: Luke e Simon.

Numa noite como qualquer outra, Clary e seu melhor amigo Simon resolvem dar uma passadinha na boate Pandemônio, só não sabia a garota que a partir daí sua vida iria mudar completamente...

Clary presencia um terrível assassinato, e percebe que só ela tinha o poder de ver aquilo. Ela ficou totalmente chocada, inclusive quando um dos assassinos a encontra no dia seguinte e exige algumas respostas. Qual o motivo de só Clary, uma jovem indefesa e mundana, ver aquilo? 

Clary é como Jace: uma caçadora de sombras.

Há apenas duas formas de se tornar um caçador de sombras: tomar do Cálice Mortal ou descender de uma pessoa assim. Clary não se lembra de ter tomado coisa alguma, e nem sabe se sua mãe ou o seu pai são caçadores de sombras, o que a deixa mais intrigada ainda.

Um dos principais focos da história - ou o principal - é o sumiço do Cálice Mortal. E também o desaparecimento da mãe de Clary, sequestrada pelo temído Valentim, um antigo caçador se sombras considerado como morto.

Clary precisa amadurecer como caçadora, relembrar seus próprios segredos que lhe foram furtados, encontrar o cálice para que Valentim não o use para criar caçadores de sombras destinados a destruir a Clave (associação que controla o mundo do caçadores de sombras), e o principal: recuperar sua mãe, e com vida.

Será que Clary conseguirá fazer tudo isso?


Um livro talvez até meio clichê, mas com uma ótima história. A titia Cassandra nos trouxe um romance épico, com um pequeno triângulo amoroso, que me deixou roendo as unhas. 

Foi uma ideia totalmente criativa. Ninguém nunca juntou tantos seres assim numa história arrebatadora que merece todo o mérito que ganhou.

Não é um livro para todo mundo, pois tem muito ''mimimi'' e a Clary é chatinha. 



A continuação da história é o livro ''Cidade das Cinzas''


Até mais :)