quinta-feira, 15 de maio de 2014

Capa de O Sangue do Olimpo saiu!

Oi galera!
A capa de ''O Sangue do Olimpo'' saiu ontem, mas muitos não viram, por isso irei postar aqui!
Na minha opinião, ela não é uma das melhores. Isso porque eu esperava um coisa bem sombria, já que é o último livro e a grande luta contra a mãe terra irá começar.
Porém, a arte continua linda e vamos esperar que a qualidade do livro seja mil vezes superior a da capa!

(aqui a imagem)


Tchau, até a próxima!

quarta-feira, 14 de maio de 2014

Resenha - O Lado Bom da Vida - Matthew Quick

Descrição:
Título: O Lado Bom da Vida
Autor: Matthew Quick
Editora: Intrínseca
Páginas: 255

Sinopse:
Pat Peoples, um ex-professor na casa dos 30 anos, acaba de sair de uma instituição psiquiátrica. Convencido de que passou apenas alguns meses naquele “lugar ruim”, Pat não se lembra do que o fez ir para lá. O que sabe é que Nikki, sua esposa, quis que ficassem um "tempo separados". Tentando recompor o quebra-cabeças de sua memória, agora repleta de lapsos, ele ainda precisa enfrentar uma realidade que não parece muito promissora. Com seu pai se recusando a falar com ele, a esposa negando-se a aceitar revê-lo e os amigos evitando comentar o que aconteceu antes da internação, Pat, agora viciado em exercícios físicos, está determinado a reorganizar as coisas e reconquistar sua mulher, porque acredita em finais felizes e no lado bom da vida. Uma história comovente e encantadora, de um homem que não desiste da felicidade, do amor e de ter esperança.

Resenha:
O que dizer do melhor livro que eu li? Como expressar meus sentimentos de uma maneira que todos entendam?
Enfim, irei tentar agora...

O livro conta a história de Pat, um adulto com problemas psiquiátricos chamado de Transtorno de Bipolaridade, ignorado pelo pai e amado incondicionalmente pela mãe. Ele passou anos num manicômio, mas não tem noção disso. Acha que está no ''tempo separados'' com sua mulher, e logo ela irá voltar para os seus braços. Mas para isso ele precisa estar em forma e com uma capacidade mental maior, já que Nikki é professora e tem amigos muito inteligentes. Mas não lembra Pat o que Nikki fez no passado...

Depois de tempos na casa dos pais, Pat recebe a oportunidade de jantar com seu amigo, de receber a visita de seu irmão, assistir aos jogos dos Eagles diretamente no campo, e várias outras coisas que complementam o livro. Mas um momento desses aí foi o mais importante, creio eu, e foi quando viu Tiffany pela primeira vez após a saída do ''lugar ruim''. Tiffany, uma mulher problemática, demitida de seu trabalho após transar com todos os seus colegas, viúva, persuasiva e bailarina, fez com que o coração de Pat mudasse de direção.

Após todas as corridas diárias, os ''encontros'' em que eles dividiam cereal, e todos os momentos restantes em que estava com Tiffany, fez-nos perceber que aquela era a mulher ideal de Pat, por mais que no final do livro decepcione a família do homem.

Eu, particularmente, gostei demais do livro, mesmo que a narrativa das partidas de futebol fossem entendiantes, assim como as cenas que ele falava de Nikki, e todas as de seu amigo de manicômio Danny. Sem contar as entediantes cenas em que ele pensava em Kenny G., que compôs a música de seu casamento, que também serviu de fundo para a traição de Nikki. Mas, tirando esses empecilhos, a narrativa de Quick nos faz perceber que somos todos loucos, problemáticos, cheios de pedras no caminho, e a maneira mais fácil é optar pelo lado bom da vida, por mais que nossas decepções amorosas e problemas familiares nos faça ficar para baixo, e esse otimismo de Pat é o que o faz ser a grande personagem que é.

Em breve resenha em vídeo no canal...
Até mais!

sexta-feira, 9 de maio de 2014

Tag Literária - 7 Pecados Capitais

Oi pessoal, como agora resolvi me dedicar mais ao blog e a vocês, vou trazer várias postagens durante a semana para o conteúdo ser sempre atualizado.
A postagem de hoje vi no blog Afins da Leitura



1) Avareza - Qual é o seu livro mais caro? E o mais barato?


O Projeto Rosie (R$ 9,90) e Morte Súbita (R$ 50,00)

2) Ira - Com qual autor você tem uma relação de amor e ódio?

Rick Riordan por ser meu autor favorito e por ter matado grandes personagens.

3) Gula - Que livro você devorou sem vergonha alguma?


Li ''As Vantagens de Ser Invisível'' em apenas um dia. Além disso, se tornou um dos queridinhos de 2014.

4) Preguiça - Que livro você tem negligenciado devido a preguiça?

Tenho negligenciado com todas as minha forças o livro ''Eu sou o número quatro'', por mais que eu tenha gostado do John. 
Já tentei ler esse livro duas vezes, mas desisti em ambas. Mas agora que estou empenhado em ler bastante, talvez o pegue qualquer dia desses.

5) Orgulho - Que livro você tem mais orgulho de ter lido?

A história do perturbado Pat e da melhor personagem do mundo, a Tiffany, o mundo mudou totalmente para mim. 
Como o Pat, resolvi escolher o lado bom da vida.

6) Luxúria - Quais atributos você acha mais atraentes em personagens femininos?

O que acho mais atraente é a força e a capacidade de pensamento que muitas das personagens femininas trazem. Um dos meus exemplos preferidos é a Annabeth Chase (Percy Jackson) e a querida Tris Prior (Divergente).

7) Inveja - Que livros você gostaria de receber de presente?
Eu amaria receber Insurgente e As Vantagens de ser Invisível (por mais que já tenha lido esse).



Foi isso pessoal! Espero que vocês tenham gostado da primeira de muitas tags.
Até mais!


quinta-feira, 8 de maio de 2014

Resenha - Divergente - Veronica Roth

Descrição:
Título: Divergente
Série: Divergente
Autor: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 504

Sinopse:
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


Resenha:

Divergente foi uma leitura prazerosa e rápida. Não pelo fato da história ser ruim e eu quisesse acabar logo, mas, na verdade, porque não queria mais sofrer pela Tris.

Beatrice Prior, uma garota da Abnegação, que chega até seus 16 anos um pouco incerta de que caminho escolherá para si. Mas para dar uma pequena ajuda, os jovens de Chicago participam do teste de aptidão, onde saberão em qual facção irão ficar.
Mas isso não funciona com Tris, pelo contrário, só causa mais confusão em sua cabeça. Mas porquê? Porque ela é Divergente!

Como não vou dar spoilers, irei apenas falar que ser divergente é ser perigoso. E ser perigoso, naquelas condições, causa morte! 

Como todo belo drama, sempre haverá um antagonista. E ela é Jeanine, uma líder da Erudição, a facção que Tris mais odeia, mas é a que seu irmão escolhe para viver durante toda sua vida.

Além de todos esses problemas, Tris tem que enfrentar seus medos nas ''paisagens do medo'' e seus colegas de facção, que tentam adiantar sua morte (não que ela irá morrer, eu acho...)

Enfim, divergente tem uma ótima dinâmica, que transmite a mensagem que não nos encaixamos em apenas um grupo, sendo assim, todos nós nos tornamos iguais, ou seja, divergentes.


sábado, 3 de maio de 2014

Estou lendo...#4

O ''Estou lendo...'' de hoje trás um grande livro: Divergente! Recentemente foi lançado uma adaptação dele, na qual já temos uma crítica aqui no blog.

Sinopse:
Numa Chicago futurista, a sociedade se divide em cinco facções – Abnegação, Amizade, Audácia, Franqueza e Erudição – e não pertencer a nenhuma facção é como ser invisível. Beatrice cresceu na Abnegação, mas o teste de aptidão por que passam todos os jovens aos 16 anos, numa grande cerimônia de iniciação que determina a que grupo querem se unir para passar o resto de suas vidas, revela que ela é, na verdade, uma divergente, não respondendo às simulações conforme o previsto.
A jovem deve então decidir entre ficar com sua família ou ser quem ela realmente é.
E acaba fazendo uma escolha que surpreende a todos, inclusive a ela mesma, e que terá desdobramentos sobre sua vida, seu coração e até mesmo sobre a sociedade supostamente ideal em que vive.


quinta-feira, 1 de maio de 2014

Opinião - Filme Divergente

Oi galera, desculpa pela minha ausência , como esse bimestre é mais curto, as provas foram adiantadas e, assim, tive que estudar bastante.
Mas eu ainda li bastante e assisti vários filmes, sendo um deles Divergente.